Decidir o regime tributário em janeiro pode ser crucial na saúde das empresas ao longo do ano

No mês de janeiro, a decisão sobre o regime tributário adotado torna-se crucial para os gestores, influenciando diretamente a saúde financeira das empresas ao longo do ano. O impacto dessa escolha se estende além das questões fiscais, moldando a competitividade, lucratividade e a capacidade de investimento das organizações.

De acordo com Cristiane Almeida, Contadora da Brasis Contabilidade, é importante escolher sabiamente entre os três regimes existentes no Brasil: Simples Nacional, Lucro Presumido e Lucro Real. Decidir o regime tributário em janeiro pode ser crucial na saúde das empresas ao longo do ano Cristiane explica que compreender as nuances de cada regime é fundamental para a tomada de decisão. “O Simples Nacional, por exemplo, destaca-se por sua praticidade ao abranger diversos tributos como, IRPJ, CSLL, PIS, COFINS, IPI, ICMS e ISS em uma única guia, sendo uma opção vantajosa para microempresas e empresas de pequeno porte. A economia tributária é um dos principais benefícios, especialmente para atividades no setor de comércio e serviços”. Ao explorar o Lucro Presumido, a especialista pontua a necessidade de avaliar criteriosamente custos, despesas, faturamento e atividades econômicas. “Os percentuais de presunção do lucro variam conforme a natureza da empresa, sendo uma opção atraente para diferentes setores, como revenda de mercadorias, serviços em geral e administração de bens”, ressalta. No entanto, ela também alerta sobre a complexidade do Lucro Real, que demanda eficiência na gestão fiscal, escrituração contábil rigorosa e enfrenta uma fiscalização mais intensa da Receita Federal. Algumas empresas são obrigadas a adotar esse regime, e é crucial estar ciente dos desafios e requisitos específicos, como a atualização mensal da escrituração contábil. Diante dessas considerações, a consultora em planejamento tributário sugere que as empresas realizem um planejamento tributário eficaz, analisando atividades, benefícios fiscais, espaço geográfico das operações e simulações nos três regimes. “A análise minuciosa proporciona uma visão clara das vantagens e desvantagens de cada opção. Se possui algum benefício tributário (isenção, redução), entender o espaço geográfico das operações de compra e venda, o prazo de recebimento e pagamento, se há vantagem em abrir filiais ou não, simulação da tributação pelos três regimes tributários considerando a tributação de cada produto e serviço”. Para iniciar o processo de decisão no início do ano, Cristiane enfatiza a importância de consultorias contábeis e planejamentos tributários, permitindo a inclusão de metas e operações previstas para o ano em questão. “Para tomar decisão assertiva é recomendado que os gestores façam uma consultoria contábil e tenham um Planejamento Tributário, pois nele conterá as atividades econômicas e operações previstas para o alcance das metas de 2024”, conclui a especialista. Essa abordagem estratégica proporciona aos gestores uma base sólida para o sucesso empresarial em 2024, considerando os desafios e oportunidades inerentes aos diferentes regimes tributários.
Artigo escrito por Cristiane Almeida
por Criativos PR

Fonte:  Decidir o regime tributário em janeiro pode ser crucial na saúde das empresas ao longo do ano

O post Decidir o regime tributário em janeiro pode ser crucial na saúde das empresas ao longo do ano apareceu primeiro em Em manutenção.

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

Abrir bate-papo
1
Olá
Como podemos ajudá-lo ?